Amigos do Blog

Pesquisar este blog

quarta-feira, 29 de dezembro de 2010

EUPATORIUM PERFOLIATUM, UNIDOS PELA DOR E O MEDO.

EUPATORIUM PERFOLIATUM
Personalidade Homeopática.

Essa personalidade crê, sem sombra de dúvida que irá perder a consciência, e isso ocorre a noite.
Ele quer se mexer, não pode ficar parado, especialmente no início da sua deficiência, entretanto se mover piora tudo, muito, sempre. É aí que desespera para parar qualquer movimento que seja. Neste quadro se instala a irritabilidade em alto grau e a ansiedade e desespero. Pelo que tanta agonia? DOR E MEDO.


Essa personalidade conhece a dor. Conhece o medo da dor e assim ele acaba por ficar deprimido e desanimado.
Eupatorium tem medo do sofrimento, da doença que vê chegando, tem medo da noite onde tudo piora. Dá pra entender o desespero e sua mente se desespera.
Febre e calafrios são comuns, entretanto sempre com gemidos, com lamento, com tristeza, com depressão e depois com inconsciência. 

A febre de Eupatorium o deixa inconsciente e ele sabe que isso vai acontecer a noite, ele vê a chegada da dor e por isso mesmo ele se desespera e sua mente se agita. Veja bem, a mente se agita, o corpo tem de parar, se não tudo piora. Kent o descreveu muito bem.
Talvez essa seja uma personalidade das mais difíceis de se desenhar.
Classicamente vemos Eupatorium assim:

Dores por todo o corpo como se fossem nos ossos, sem alívio com o repouso ou com movimentos. Rouquidão matinal. Náuseas com o cheiro de comida. Vômitos de bílis e diarréia.

Acredito que Eupatorium vomita bílis de dor.
Já a rouquidão matinal não nos acrescenta nada em especial, a não ser no fechamento dessa personalidade que deve ter dificuldade de falar, pois precisa se aquietar.
Não adianta sopinha, comidinha, chazinho, tudo isso fica lhe dá náuseas e isso é automático.
Dor sem posição, dor nos ossos, o “quebra ossos” da matéria médica, esse é Eupatorium e talvez por isso mesmo  ele seja o rei das dores no corpo seguida de gripe ou influenza.
Não é dor no corpo, como se tivesse levado uma surra (rhus tox), é dor no osso, como se estivesse sendo quebrado, é dor sem parada, constante.
Suas febres são altas e internitentes, sempre com muitas dores.
Nas crises de artrite, dores por todo o corpo e em todos os locais e membros.

Dores reumáticas, especialmente daqueles que habitam em locais úmidos, rios, pântanos e comumente onde a temperatura é muito baixa (neve), ou seja, em áreas miasmáticas. Mais uma combinação de frio e depressão.

Começa com a sensação de frio, como se os ossos estalassem “Kent” e desejam se meter de baixo de algo que os esquente, pois o frio parece que o toma todo. Eupatorium gela por dentro, não está insensível, não embota o cérebro, tenta desesperadamente que a dor deixe seu corpo. 

Sua evolução pode apresentar além dos vômitos biliosos, dores de cabeça como um grande peso, o que é normal em gripes e resfriados. A pneumonia também não é um quadro estranho, não só pelo quadro físico em si, mas pelo acumulo de líquidos, frio, depressão e quietude. 

Afecções severas do fígado e tudo o que quiser imaginar sobre sintoma de gripe, essa plantinha toma conta e toma bem. Nas dores de cabeça especialmente depois que se deita ou depois de transpirar. Aparecem muito no Desgaste constitucional por Embriaguês, na sua fragilidade, qualquer movimento lhe faz mal.


Folhas em lados opostos do caule são unidos na base, envolvendo o caule.

Uma curiosidade: as folhas dessa planta, abraçam o caule, são unidas e não separadas. assim é essa personalidade, está unida a dor, a dor que quebra seus ossos, a sensação da eminencia da dor e a certeza desesperadora de que ela virá. Envolta em dor e medo essa personalidade se alimenta.

Em chá ou homeopatizado na ch 6, essa medicação é realmente fantástica, impedindo que no avanço de uma simples gripe, ocorram processos secundários graves.
só não se esqueçam: essa personalidade existe e se mostra na dor e no medo.
Natrum Muriat. Sépia e Tuberculinum são medicações e ou PERSONALIDADES que o seguem bem a Eupatorium.
Homeopatas dos Pés Descalços

terça-feira, 28 de dezembro de 2010

DROSERA ROTUNDIFÓLIA - ENTRE A GULA E A MAGREZA.

A PERSONALIDADE DE DRÓSERA

Drosera é o seguinte: desconfia de todos os seus amigos, até da sombra deles, mas quando adoece sua tristeza piora muito se estiver sozinho.
Sua ansiedade é bastante grande e voltada para os alimentos – certeza de que vai faltar, de que a comida vai acabar, é o chamado guloso, aquele que poderia ter dado o fato ao nome ou vice versa. Não existe um Drosera Rotundifolia sem comer tudo o que acha pela frente e até acabar – crises de ansiedade.  “verificação clássica da pré crise – surto ou transtorno de ansiedade.”
Outra classificação clássica da Drosera é daquela pessoa que se chateia se alguém colocar as compras encima do fogão, se a roupa foi dependurada da esquerda para a direita e tudo é muito sério, a raiva se instala por qualquer motivo que seja por coisas do dia a dia. Aborrecimentos por trivialidades.
Disperso – esse é outro ponto clássico para essa medicação, Drosera é totalmente disperso, muda a sua atenção a toda a hora. Dificuldade de concentração.

Drosera não sente que está sendo perseguido, ele tem todo o quadro de ilusão da perseguição, ele tem certeza disso.

Sua maior tendência é a de se afogar, na maioria das vezes não é fã da água e sempre tem uma história de medo sobre o fato. Ama sorvete e é capaz de apontá-lo como seu alimento predileto. Odeia carne de porco e não suporta alimentos ácidos, pois esses provocam contração. Neste caso ocorrem náuseas e dores estomacais (observe nux vômica) que aqui é uma das suas medicações complementares, assim como Veratrum (ilusão real) e carb. Veg.

Tem tendência ao emagrecimento mesmo sendo uma draga na comida, o que leva muitas vezes a desconfiança da diabetes, sem tê-la. Conhece o magro que parece uma draga? Essa é a Drósera.
Essa personalidade tende a piorar muito no período da noite, até aí tudo bem, entretanto se fizer calor a noite, vai piorar muito. Uma das doenças comumente associadas e observadas a ela é a tuberculose – crianças que comem muito e são raquíticas - tendem a tossir demasiadamente quando colocam a cabeça no travesseiro, por conseguinte são um bom perfil para se desconfiar de Drosera.
A tosse de Drosera:
Constante, tosse em crianças, de “titillating” começa assim que cabeça toca travesseiro à noite (Bell, Hyos, rum).
Tosse noturna de pessoas jovens; expulso sangrento ou purulento. Tosse: pelo carinho, beber, cantar, RIR, choro, mentir, depois da meia-noite.
Durante a tosse; vômitos de água abundantes, muco e muitas vezes sangramento no nariz e boca (Taça.). 


Hahnemann diz (Mat. MED. Pura.): "uma dose única da atividade trigésima é suficiente para curar inteiramente epidemia de coqueluche. A cura ocorre seguramente entre sete e oito dias. Nunca dê uma segunda dose imediatamente após o primeiro; ele só não impediria o efeito positivo da antiga, mas seria prejudicial".

Fisicamente esse é seu maior paradoxo: “Esfriamento paroxístico da metade esquerda da face, como defesa dores e calor seco da metade direita”. Sua vertigem ocorre ao andar e sua tendência a queda, bem como a própria queda é para o lado esquerdo. 

Marcadamente afeta os órgãos respiratórios e foi apontado pelo Hahnemann como o principal remédio para tosse whooping. Drosera pode derrubar a resistência ao bacilo e, portanto, deve ser capaz de aumentar a ele (Dr. Tyler). Vômitos de alimentos da tosse com irritação gástrica e expectoração profusa. 

“A peste. Com o rosto quente, mãos frias, sem sede. Sempre é demasiado frio, mesmo na cama. Curiosamente, foi recomendado por médicos alemães do século XVIII como uma panacéia para afecções de peito. Serrand, de Paris (traduzido H. r, vi. 153) mantém que Drosera tem um papel importante na profilaxia de bacilo. As indicações pedindo na fase de pré - monitoramento são: Palidez, fraqueza, perda de apetite, tosse seca, emaciação”. 

Sabidamente a Drósera é muito usada em casos de asma quando ao falar existe uma contração na garganta, e isso ocorre a cada palavra que venha a pronunciar.

 NO MAPA A DEMARCAÇÃO EM CORES DOS PRINCIPAIS LOCAIS ONDE ESSA PLANTA HABITA.
Quando procuramos por essa medicação, é comum encontrarmos a seguinte descrição:


Drosera rotundifolia

Tosse espasmódica, com acessos prolongados, terminando em náusea e vômito prolongado. Mania de perseguição. Asma, Bronquite, Tuberculose persistente e Coqueluche que às vezes é acompanhada de perda de sangue pelo nariz.

Drósera quando mata suas presas, suga seus nutrientes e tão atraente, com seu brilho molhado, se fecha subitamente e mata o que estiver no seu interior, tamanho seu poder de contração e com ácidos e venenos. É também atribuída a ela as contrações dos escritores – “câimbra de escritor”. Não subestime sua tristeza, é profunda. Resiste e vive em locais frios e de pobreza de nutrientes, ela vai resistir e tirar o que precisa de qualquer inseto que nela pousar.

Frio, muito frio, tristeza e solidão, a humanidade já viu esse filme antes e Drósera conhece bem essa realidade.

Homeopatas dos Pés Descalços

segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

SÉPIA: O EQUILÍBRIO ESTAGNADO.

 SÉPIA E A SUA PERSONALIDADE HOMEOPÁTICA

Sépia irrita-se consigo mesmo, então imagine com os outros? Trata-se de um remédio próprio para a mulher, pelo ao menos em sua grande maioria. 


O tipo mais formulado de Sépia é uma mulher delicada, magra, de cabelos escuros, face entre empalidecida e amarelada, triste, mas com tendência à IRRITAÇÃO e COLÉRICA. Olheiras escuras. Nervosismo excessivo com perturbações mentais. Existem Sépias gordinhas, entretanto a sua fisionomia no período de crise é bastante marcante. Nos quadros de agravamento, ela emagrece e depois pode voltar a engordar, o caso é que sua tendência para perder peso é grande. Sépia não possui as convencionais marcas e curvas femininas, não forma cintura e nem seio. Sépia estabelece um vazio e um equilíbrio hormonal tão grande, que é aí que sua personalidade aparece. Ela é isenta de tudo.

A sua indiferença acompanha a sua competitividade. Sépia é triste e chora muito fácil. Entretanto ansiosa. Indiferente e apática desinteressou-se por tudo: os estudos, os negócios, o seu trabalho, a família. Não deseja nada, nada a interessa ou diverte. Não quer fazer nada, distrair-se, trabalhar, pensar. Porque sépia é competitiva e irritada? Porque é ansiosa? A meu ver esse é o tom maior de sua polaridade.

Perda de emoções. Indiferença aos que amam. Torna-se dura são amantes incondicionais da dança energia que não combina com a apatia e são apaixonados pela tempestade, violência e fúria, opostos de sua a sua expressão lânguida e nem com o seu cansaço fácil. “Sépia não tem dó de ninguém, enxerga as pessoas como sendo fracas.”

A mente de Sépia entra em vazio, embotamento mental. Não consegue raciocinar as coisas, pensar objetivamente sobre elas, nada a motiva. Não há prazer, nem sexual, nem físico.

Sépia e o universo feminino:
1. Menstruação escassa e dolorosa.
2. Grande preventivo do aborto.
3. Problemas do climatério, com calores súbitos, transpiração e desfalecimento.
4. Sensação de peso no baixo ventre.
5. Forte dor de cabeça durante a menstruação.
6. Corrimentos vaginais juvenis.
7. Vagina dolorida.
8. Enxaqueca com prurido vaginal.
9. Prolapso ou deslocamento do útero.
10. Erupções da pele (pior na menstruação), escamações, acne, impigens, herpes.
11. Náuseas ao sentir o cheiro dos alimentos (próprio das grávidas).
12. Regras curtas e de pouca duração.

O choro de sépia é fácil e o seu desejo de estar e ficar só a acompanha sempre, especialmente no cair da noite, melhorando quando a noite cai por completo. Quedas de cabelo seguidas de quadros de enxaquecas crônicas com profundas olheiras- nas mulheres – nos fazem pensar em sépia. 

Excitável, sensível. Fechada, ela se torna introvertida, avessa à companhia e melhora muito quando sozinha, mais quando produz calor ou caminha rápido, ou mesmo quando se estica. Sépia tem muitos opostos.
Piora onde a supressão de emoções é estimulada, usando o desmaio fácil como sua maior expressão. “Não pode se expressar, desmaia”.
Um bom exemplo da ação primária e secundária: A língua de Sépia é branca e contêm muitas aftas. No período das regras onde ocorre a maior agravação física e mental das mulheres de sépia, ela fica limpa, tornando-se suja logo após.

“Enquanto Lyc possui manchas marrons no abdômen, Sépia possui manchas amarelas ou escuras nas costas, ombros e ventre.” – essas manchas são incrivelmente demonstradas numa análise simples e são também incrivelmente ligadas a deficiências do fígado, metabolismo digestivo lento, seguidos de enjôo, principalmente ao acordarem, marcadas com aversão ao leite e a fama de serem chocólatras – amantes de chocolate – leite e chocolate, outra polaridade de sépia. Sépia é isenta de sentir que seu estômago está cheio.


A cabeça de sépia:
- Dor do lado esquerdo sobre o olho esquerdo (Spig, Thuj).
- Melhora pela locomoção (sintoma comum).
- Piora pela rapidez, pela menstruação, pela menopausa (sintomas que se deve observar em sépia) – essa queixa é feita com muitos detalhes pela sépia.
- Flachs de calor na cabeça.
- Queda de cabelo, piora por mudanças hormonais.


Doenças mais comuns da mulher de sépia:
Essas costumam atingir o APARELHO REPRODUTOR em cheio e são observadas em cidades do interior com mais freqüência (normalmente moças ou mulheres da classe média, que não se situaram e nem se possionaram na vida, fazem do seu mundo um mundo que não pode ser penetrado). Não vêem solução para o seu problema e cumprem as regras determinadas.


- Condiloma
-Impotência.
-Leucorréia severa, mesmo em pequenas garotas.

-Aversão ao sexo
- Vaginite que piora com a gestação, com muito prurido.
-Piora com as mudanças hormonais.
- Prolapso do útero
- Sensação de bola descendo pela vagina,
-Regras escassas.
- Síndrome pré-menstrual
- Dismenorréia.
- Amenorréia.
- Muito sensível ao movimento do feto e ao toque do útero
- Infertilidade.
Frigidez – não consegue ter orgasmos.
- Abortos de repetição do terceiro ao quinto mês.
- Coito doloroso. Dor sobe da vagina.
- Colo fechado durante o trabalho de parto.
- Tendência a cesariana e depressão pós parto.
- Lactação escassa.
-As mamas tornam-se dura.

Sépia tem problemas hormonais clássicos, quando eles estão equilibrados no corpo, surge à personalidade de Sépia. Se a tendência e/ou necessidade do sexo existe e isso é aquecimento, Sépia precisa de muito esforço para que isso ocorra. Ela tem o equilíbrio perfeito, um anula o outro. Sépia não saberá dizer por que chora, mais poderá chorar dias, sabe de todo o seu sofrimento e por isso mesmo o desmaio é tão bom. Acaba por isolar-se.

Homeopatas dos Pés Descalços

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Pesquise por matéria específica